No Brasil, cola para cílios não precisa ter a fórmula descrita na embalagem. E você não sabe exatamente o que está aplicando na cliente

Um leitor do SoulMake mandou uma pergunta para a nossa cosmetóloga preferida, Sonia Corazza:

“Sonia, como eu posso saber que a cola de cílios postiços tem látex na fórmula?”.

O motivo da pergunta veio de uma experiência desagradável – e perigosa – que ele passou recentemente.

Aconteceu o seguinte: ele estava maquiando uma cliente alérgica à látex (ela o avisou antes de ele começar o serviço). Assim que ele colocou a cola para cílios postiços, a pele começou a inchar. Por sorte, o produto foi aplicado para colar um adereço no rosto e não nos olhos.

Este maquiador, assim como milhares de outros, não fazia ideia de que a maioria das colas para cílios postiços contém látex na fórmula. E, mesmo que tivesse lido a embalagem, provavelmente ele não teria como saber. Por quê?

“Colas e adesivos não são considerados cosméticos. Eles são considerados coadjuvantes, como os pincéis. Então, não precisam de registro da Anvisa”, explica Sonia Corazza.

No Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é o órgão responsável por controlar a produção e comercialização de produtos e serviços de cosméticos.

Como as colas para cílios postiços não são consideradas cosméticos pela instituição, as marcas:

  • Não precisam seguir nenhum tipo de regulamentação que garanta segurança no uso do produto.
  • Estão livres para decidir se colocam ou não na embalagem a descrição de todos os componentes da fórmula.

Para a Dra. Gisele Nunes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, cola para cílios postiços deveria, sim, ser considerada cosmético. Afinal, é aplicada diretamente nos olhos.

Entramos em contato com a Anvisa e assessoria de imprensa disse que “a questão será reavaliada pela Agência. No entanto, ainda não há prazo para que isso ocorra”.

Enquanto a Anvisa “reavalia a questão” e as marcas estão à vontade para colocar a saúde da população em risco…

Se a cliente é alérgica ao látex, a saída é usar marcas que informam CLARAMENTE que e a fórmula não contém a substância.

“Isso não significa que a pessoa não tenha alergia a outras substâncias presentes na fórmula, mas, pelo menos, já elimina o risco de uma delas”, comenta a Dra. Gisele.

Como a maioria das pessoas não faz ideia que a cola para cílios postiços pode conter látex, é provável que a cliente alérgica nem saiba que deve avisar você. Por isso, a dermatologista também recomenda sempre perguntar antes.

Um ponto importante: as colas que contém látex não representam riscos à saúde de quem não é alérgico ao componente.

E se a cliente é alérgica ao látex, mas não sabe?

Para evitar reações à substância completamente, a recomendação é usar cola sem látex.

Pode fazer um teste de contato na hora pra ver se a cola causa alguma reação na cliente?

Não adianta. A dermatite alérgica é causada por uma reação do sistema imunológico e depende das condições do sistema de defesa do organismo. Então, ela pode surgir muuuito depois do primeiro contato com a substância.

“É como a alergia ao camarão. A pessoa pode desenvolver a alergia e só descobrir quando ingerir o alimento, mesmo que a ela já tenha comido camarão antes e nunca tenha tido problema”, explica Dra Gisele

Pesquisamos, pesquisamos, pesquisamos e é realmente difícil encontrar uma marca de cola para cílios que a gente possa afirmar que não tenha látex.

A marca Duo têm duas: a Brush On Striplash Adhesive e a Individual Lash Adhesive. Mas não é tããão fácil de comprar em todo lugar do Brasil, né?

A boa notícia é que Kiss NY também oferece duas opções e ainda tem vantagem de ser vendida em lojas e farmácias em várias cidades do Brasil (algumas delas também têm venda online):

i-ENVY by Kiss NY – Cola Superfixação 48h

i-ENVY by Kiss NY – Cola Longa Duração 24 Horas